14 de março de 2010

Confissões I

Tenho passado por situações em minha vida, dúvidas existenciais. Começo aqui com um verso do meu guru Fernando Pessoa que dá voz á Bernado Soares no Livro do Dessassosego que diz" De repente, estou só no mundo", é assim que tenho me sentindo ultimamente. Seres humanos são complexos, horas querem, horas não, mudam constantemente de opinião. Não consigo me encaixar dentro de tudo isso. Não sou normal, também sou muito complexa em relação a vida, amores, etc. Se nós jogamos para a vida, o tombo é dolorido e se ficamos neutros em relação a ela, sentimo-nos sós. E então, o que fazer? Não sei como reagir. Fantasmas me surgem cotidianiamente, sombras inquietas me surgem no silêncio adormecido. Se durmo, elas me assombram, se acordo a claridade, as pessoas me assombram.
Queria ter asas para voar como uma borboleta sem destino ou um pássaro que não tem certo o seu pouso, me fariam feliz.
Veria o mundo do alto das campinas, teria o silêncio e o azul vago sobre mim.
E no fim teria um descanso com as flores do meu jardim.

3 comentários:

Marina Sena. disse...

Isso me lembra um trecho, de Alice no país das maravilhas, não sei bem porque.

"... Ao dizer essas palavras, seu pé escorregou e, num segundo
— splash! —, estava mergulhada até o queixo em água salgada [...]
' Seria melhor não ter chorado tanto!' lamentou-se Alice
enquanto nadava, tentando sair dali. 'Parece que serei punida
agora por isso, afogando-me em minhas próprias lágrimas! Será
uma coisa esquisita, com certeza! Mas tudo está muito esquisito
hoje.'


Até.

Victor Canti disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Victor Canti disse...

sei o que sente, muitas vezes passo por isso tb..rs
no fim me lembrou Fernão Capelo Gaivota, já leu ou assitiu o filme?!