27 de julho de 2010

No Tempo da Idade Média

Terminei recentemente a leitura de um dos livros do poeta Murilo Mendes. Depois, que você ler esses poetas e escritores com "substância" é difícil ter que suportar tais " imbecis culturais", pessoas que se dizem "poetas", acham porque tem grana podem sair por aí publicando livros. Estive presente no último domingo em um Congresso Literário que ocorreu em SJC no DIA DO ESCRITOR. O evento não foi dos melhores, um bate papo chato e cansativo. Mostrei meu recente livro de poemas para alguns presentes, foi uma lástima. Um deles me disse que a forma que eu escrevo, poemas curtos era chamado de "poema pílula", onde já se viu isso na Literatura? Outro me disse que deveria escrever mais quatro linhas, e por aí vai. Me revoltou quando escutei de uma "professora" que comparou o poema como aquela música da " batatinha quando nasce..." dizendo que poesia tem que ser com ritmo, caso contrário não é poesia.
Nunca vi tanta imbecialidade, tanta burrice, falta de conhecimento. Concordo com o Arnaldo Jabor a humanidade está ficando cada vez mais burra. Na era da informática, no ano de 2010, estamos regredindo para a era da Idade Média, século passado. Jovens que escrevem sonetos, usam rimas, se preocupam com regras poéticas.
Vou para meu mundo de sonhos, onde não há regras e a liberdade reina.

2 comentários:

Idiane disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Idiane disse...

ahhhh que geeente imbecil!!
a poesia eh liberdade, a linguagem eh livre!! vamos nao fazer rimas, nao usar metrica...vamos ser livres!! e quem quiser usar rimas, metricas, abobrinhas [ou batatinhas] e régua e tal que use oras!!
a poesia de Máh eh pilula?? soh se for de sabedoria e encanto..e talvez muitas leitores
de sua poesia ainda nao comportem mentalidade
suficiente para digerir suas pilulas fabulosas [quanto mais doses maiores!]
comentários retrogrados a gente peneira e depois da descarga!
amiga querida, sua poesia eh explendida..e sua escrita preenche a alma de quem lê!

IÐ'